Nariz, olfato

Nariz, olfato

Os receptores olfativos produzem sinais elétricos quando estimulados por odores.

Biologia

Palavras-chave

olfato, nariz, percepção, órgão sensorial, órgão olfactivo, cheiro, fragrância, epitélio nasal, eixo olfativo, bulbo olfactório, cavidade nasal, nervo olfactório, recetor, osso nasal, seio frontal, platô cribriforme, estímulo, condução de impulso, impulso, córtex cerebral, sistema nervoso central, sistema nervoso, humano, biologia

Itens relacionados

Cenas

Órgão olfativo

  • bulbo olfatório - As fibras que entram formam o nervo olfatório e transmitem impulsos produzidos pelos receptores. As fibras que saem formam o trato olfatório e transmitem impulsos ao cérebro.
  • platô cribriforme - Uma parte fina e perfurada do osso etmóide, onde o nervo olfatório entra no crânio e alcança o bulbo olfatório.
  • osso nasal
  • palato
  • abertura do tubo de Eustáquio - Liga a cavidade nasal ao ouvido médio.
  • seio frontal

Bulbo olfatório

  • epitélio nasal - Contém células receptoras. A sua superfície está forrada por uma camada mucosa que identifica os odores.
  • receptores - Recebem sinais químicos e produzem um impulso elétrico. Receptores diferentes são sensíveis a diferentes odores. O cheiro sentido depende dos receptores estimulados e das áreas corticais ativadas. Os axônios dos receptores formam o nervo olfatório, que transmitem impulsos ao bulbo olfatório.
  • células mitrais - As células receptoras transmitem os impulsos a estas células. Os seus axônios transportam impulsos ao centro olfactório do cérebro.
  • platô cribriforme - Uma parte fina e perfurada do osso etmóide, onde o nervo olfatório entra no crânio e alcança o bulbo olfatório.
  • fibras do trato olfatório - As fibras que transmitem impulsos do bulbo olfatório ao córtex cerebral formam o nervo olfatório.

Percepção de odores

  • trato olfatório - Contém fibras nervosas, que transportam impulsos do bulbo olfatório ao córtex cerebral.
  • nervo olfatório - As suas fibras transportam impulsos do epitélio nasal ao bulbo olfatório.
  • bulbo olfatório - As fibras que entram formam o nervo olfatório e transmitem impulsos produzidos pelos receptores. As fibras que saem formam o trato olfatório e transmitem impulsos ao cérebro.
  • platô cribriforme - Uma parte fina e perfurada do osso etmóide, onde o nervo olfatório entra no crânio e alcança o bulbo olfatório.
  • epitélio nasal - Contém células receptoras. A sua superfície está forrada por uma camada mucosa que identifica os odores.

Animação

  • bulbo olfatório - As fibras que entram formam o nervo olfatório e transmitem impulsos produzidos pelos receptores. As fibras que saem formam o trato olfatório e transmitem impulsos ao cérebro.
  • platô cribriforme - Uma parte fina e perfurada do osso etmóide, onde o nervo olfatório entra no crânio e alcança o bulbo olfatório.
  • osso nasal
  • palato
  • abertura do tubo de Eustáquio - Liga a cavidade nasal ao ouvido médio.
  • trato olfatório - Contém fibras nervosas, que transportam impulsos do bulbo olfatório ao córtex cerebral.
  • nervo olfatório - As suas fibras transportam impulsos do epitélio nasal ao bulbo olfatório.
  • bulbo olfatório - As fibras que entram formam o nervo olfatório e transmitem impulsos produzidos pelos receptores. As fibras que saem formam o trato olfatório e transmitem impulsos ao cérebro.
  • epitélio nasal - Contém células receptoras. A sua superfície está forrada por uma camada mucosa que identifica os odores.
  • epitélio nasal - Contém células receptoras. A sua superfície está forrada por uma camada mucosa que identifica os odores.
  • receptores - Recebem sinais químicos e produzem um impulso elétrico. Receptores diferentes são sensíveis a diferentes odores. O cheiro sentido depende dos receptores estimulados e das áreas corticais ativadas. Os axônios dos receptores formam o nervo olfatório, que transmitem impulsos ao bulbo olfatório.
  • células mitrais - As células receptoras transmitem os impulsos a estas células. Os seus axônios transportam impulsos ao centro olfactório do cérebro.
  • fibras do trato olfatório - As fibras que transmitem impulsos do bulbo olfatório ao córtex cerebral formam o nervo olfatório.

Narração

Muitas das partículas que se encontram no ar podem estimular os receptores olfativos do nariz, originando o sentido do odor no córtex cerebral. O olfato desempenha um papel importante na escolha dos alimentos que podem ser ingeridos em segurança e no reconhecimento do cheiro característico de outro animal, com consequências nas relações sociais. Os humanos e outros primatas têm um sentido de olfato relativamente fraco quando comparado com outros mamíferos. Mesmo assim, os humanos são capazes de distinguir milhares de cheiros.

A parte saliente do nariz é suportada pelo osso nasal e pela cartilagem a ele ligada. A cavidade nasal está separada da cavidade bucal pelo palato e está ligada ao ouvido interno pelo tubo de Eustáquio. É este tubo que iguala a pressão entre o ouvido médio e a atmosfera. A cavidade nasal está delimitada em cima de um platô cribriforme, uma parte fina e perfurada do osso etmóide, onde o nervo olfatório (primeiro nervo craniano) atravessa o epitélio nasal e alcança o bulbo olfatório.

Com uma largura de quatro a cinco centímetros quadrados, o epitélio nasal está situado na parte superior da cavidade nasal. Os impulsos produzidos por odores, que estimulam os receptores epiteliais, são transmitidos ao bulbo olfatório pelo nervo olfatório (primeiro nervo craniano). As fibras do trato olfatório transmitem impulsos a várias partes do cérebro. O sentido do cheiro é produzido no córtex cerebral.

O sistema olfatório está também ligado ao sistema límbico, que desempenha um papel importante na formação de emoções e traços de memória. É por isso que muitas vezes os odores estimulam emoções fortes, podendo igualmente desencadear memórias. No seu romance ´Em Busca do Tempo Perdido´, Marcel Proust descreve como o cheiro e sabor de uma xícara de chá o faz recordar toda uma série de episódios da infância. Por isso, este tipo de memória é frequentemente chamada de memória proustiana. Ocorre quando algo que aprendemos em associação com um certo cheiro é mais facilmente lembrado posteriormente na presença desse mesmo cheiro.

Os estímulos olfativos são recebidos por receptores do epitélio nasal. Receptores diferentes são sensíveis a diferentes odores. Os seus impulsos são transmitidos às células mitrais do bulbo olfatório, onde são transformados e transmitidos ao córtex cerebral pelas fibras do trato olfatório.

Itens relacionados

Sentido do gosto

Os receptores do gosto convertem estímulos químicos em sinais elétricos.

A formação da imagem no olho

A curvatura da lente do olho muda se estamos olhando para um objeto próximo ou distante, de forma a garantir uma imagem nítida.

Camadas da pele

A pele é a proteção externa do corpo e conta com três camadas principais: epiderme, derme e hipoderme.

Correção da visão

Lentes côncavas e convexas são usadas ​​para a correção de miopia e hipermetropia.

Infecção do ouvido médio (otite média)

Esta animação mostra os sintomas e o tratamento para a otite média secretora.

O olho humano

O olho é um dos mais importantes órgãos sensoriais que temos. Quando estimulado pela luz, os seus receptores produzem impulsos elétricos.

O ouvido e o aparelho auditivo

O nosso órgão auditivo converte as vibrações do ar em sinais elétricos, que são em seguida processados pelo cérebro

Os órgãos sensoriais

Órgãos que detectam os sinais do ambiente ou do corpo e os transmitem ao cérebro como impulsos nervosos.

Sentido de equilíbrio

A posição e movimento da cabeça são sentidos pelo ouvido interno.

Produção de voz

Quando produzimos som, o ar que sai dos pulmões faz vibrar as cordas vocais.

Tubo digestivo anterior

Ao engolirmos os alimentos, estes viajam da cavidade bucal para o estômago, sendo este a secção final do tubo digestivo anterior.

Added to your cart.